Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Arquidiocese de Braga
DACS | 27 Out 2021
Símbolos da JMJ iniciam na sexta peregrinação de dois anos em Portugal
A Arquidiocese de Braga vai receber Cruz Peregrina e do ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani em Fevereiro de 2023.
PARTILHAR IMPRIMIR
 

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) vão iniciar esta sexta-feira uma peregrinação de dois anos em Portugal, antecipando o encontro internacional promovido pela Igreja Católica que Lisboa recebe de 1 a 6 de Agosto de 2023.

Os dois símbolos confiados pelo Papa São João Paulo II aos jovens de todo o mundo vão estar um mês em cada diocese, a começar pelo Algarve e a terminar em Lisboa.

Os símbolos da JMJ peregrinaram em Angola, na Polónia e em Espanha desde o início do Verão deste ano. A peregrinação dos símbolos pelas dioceses espanholas termina a 29 de Outubro, dia em que são entregues aos jovens da Diocese do Algarve, numa travessia simbólica do rio Guadiana.

A Arquidiocese de Braga vai receber Cruz Peregrina e do ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani em Fevereiro de 2023. 

Depois da Diocese do Algarve, os símbolos seguem para Beja, Évora, Portalegre-Castelo Branco, Guarda, Viseu, Funchal (Madeira), Angra (Açores), Lamego, Bragança-Miranda, Vila Real, Porto, Setúbal e terminam o ano de 2022 na Diocese das Forças Armadas e Segurança.

Em Janeiro de 2023 os símbolos regressam às dioceses territoriais, começando em Viana do Castelo e seguindo por Braga, Aveiro, Coimbra, Leiria-Fátima, Santarém e Lisboa.

A próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude vai decorrer em Lisboa, entre 1 e 6 de Agosto de 2023.

Um dos símbolos é a Cruz Peregrina, construída a propósito do Ano Santo em 1983 e que foi confiada por João Paulo II aos jovens no Domingo de Ramos do ano seguinte, para que fosse levada por todo o mundo.

A Cruz Peregrina afirmou-se como sinal de esperança em locais particularmente sensíveis. Em 1985, esteve em Praga, na actual República Checa, na altura em que a Europa estava dividida pela cortina de ferro, e foi aí sinal de comunhão com o Papa. Pouco depois dos ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001, viajou até ao Ground Zero, em Nova Iorque, local onde morreram mais de 2.600 pessoas. Passou também pelo Ruanda, em 2006, depois de o país ter sido assolado pela guerra civil.

O outro símbolo é o ícone deNossa Senhora Salus Populi Romani, que acompanha a Cruz desde 2000 e retrata a Virgem Maria com o Menino nos braços. Este ícone foi introduzido ainda pelo Papa João Paulo II como símbolo da presença de Maria junto dos jovens.

O ícone está associado a uma das mais populares devoções marianas em Itália. É antiga a tradição de o levar em procissão pelas ruas de Roma, para afastar perigos e desgraças ou pôr fim a pestes. O ícone original encontra-se na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, e é visitado pelo Papa Francisco que ali reza e deixa um ramo de flores, antes e depois de cada viagem apostólica.

PARTILHAR IMPRIMIR
Departamento para a Comunicação Social
Contactos
Director

P. Paulo Alexandre Terroso Silva

Morada

Rua de S. Domingos, 94 B
4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190