Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com Crux | 27 Set 2022
Cantão suíço nega financiamento de novo quartel para a Guarda Suíça
Os actuais quartéis da Guarda Suíça são espaços partilhados pequenos e apertados, com apenas 12 quartos individuais para todo o exército de 135 homens.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © Paul Haring/CNS

No Domingo, os cidadãos do cantão de Lucerna, na Suíça, realizaram um referendo sobre a contribuição financeira para a renovação do novo quartel da Guarda Suíça, o menor exército do mundo, no Vaticano, com cerca de 71,5% a votar contra o financiamento.

De acordo com a Swiss Info, o referendo que contestou a contribuição de mais de 400.000 dólares acordada pelo parlamento cantonal foi organizado principalmente por associações anticlericais, como a Associação de Pensadores Livres e um punhado de partidos de esquerda que se opõem à Igreja.

Os actuais quartéis da Guarda Suíça são espaços partilhados pequenos e apertados, com apenas 12 quartos individuais para todo o exército de 135 homens, dificultando a acomodação de todos e tornando a possível adição de mulheres ao pequeno exército actualmente impossível.

No ano passado, o Vaticano divulgou planos para renovar o quartel, com data de conclusão prevista para 2026, para marcar o 520º aniversário da fundação da Guarda Suíça.

Os planos incluem uma expansão muito necessária que visa não apenas melhorar a vida dos guardas actuais, mas também permitir a possibilidade de mulheres se alistarem no futuro, já que a Guarda actualmente masculina luta para encontrar novos membros.

O novo quartel está programado para ser inaugurado formalmente a 6 de Maio de 2027 e inclui plantas para 123 quartos individuais distribuídos por quatro andares.

Um escritório de arquitetura com sede na Suíça projectou o novo quartel, de acordo com os códigos actuais de construção e segurança, bem como os padrões de eficiência ambiental.

O custo total está estimado em cerca de 60 milhões de dólares e está a ser financiado por doações públicas e privadas, incluindo o governo suíço, o Vaticano e os cantões suíços.

Em comunicado ao Crux, o secretário de imprensa da Guarda Suíça, Manuel von Däniken, disse que aceita “com decepção” a decisão do cantão de Lucerna de realizar um referendo contra a contribuição para o novo quartel.

No entanto, os comandantes reconhecem “que este não é um voto de desconfiança na própria Guarda”.

“A contribuição de Lucerna para um alojamento contemporâneo e sustentável que corresponda às condições de vida de hoje vai agora faltar” e tem de ser “compensada por outros meios”, disse, mas expressou confiança no novo quartel “poder ser realizado”.

Däniken também expressou a esperança de que “os laços tradicionalmente estreitos com a Guarda Suíça continuem” e sublinhou que “o quartel envelhecido da Pontifícia Guarda Suíça precisa de ser completamente renovado”.

Para o efeito, indicou uma fundação criada para o efeito ao abrigo da lei suíça, a Fundação para a Renovação do Quartel, que tem por missão assegurar o financiamento do novo quartel e que irá explorar formas de compensar as perdas associadas ao resultado do referendo de Lucerna.

Artigo de Elise Ann Allen, publicado no Crux a 27 de Setembro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Guarda Suíça  •  Referendo  •  Quartel  •  Vaticano  •  Lucerna
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui