Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
dacs com the tablet | 27 Jul 2022
Igreja condena ataques no porto de Odessa
Os ataques foram acompanhados por outros ataques em torno de Kherson, Donetsk, Sumy e Kharkiv, bem como em Mykolaiv.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © CNS photo/Nacho Doce, Reuters

O líder da Igreja Católica da Ucrânia lamentou o ataque russo no fim-de-semana passado ao porto estratégico de Odessa, apenas um dia após um acordo mediado pelas Nações Unidas para retomar as exportações de grãos, à medida que aumentavam os alertas sobre o agravamento das condições humanitárias e uma possível escalada da guerra.

“Este foi o acto mais cínico – no dia seguinte à assinatura de um acordo para desbloquear os portos, os russos atacaram o porto de Odessa com mísseis, procurando atingir armazéns de grãos ucranianos”, disse o arcebispo maior Svietoslav Shevchuk de Kyiv-Halych.

A Rússia insistiu que os ataques eram contra alvos militares e que não quebrou o acordo.

O arcebispo, cuja Igreja combina o rito oriental com a lealdade a Roma, estava a reagir aos ataques de mísseis de sábado no porto de Odessa, no Mar Negro, actualmente a principal rota de exportação de mais de 20 milhões de toneladas de grãos ucranianos retidos.

Numa mensagem nacional, disse que os ataques foram acompanhados por outros ataques em torno de Kherson, Donetsk, Sumy e Kharkiv, bem como em Mykolaiv, onde os esforços continuam para resgatar civis presos sob os escombros de prédios destruídos.

Enquanto isso, outro bispo católico disse que as necessidades humanitárias estão a multiplicar-se, entre pessoas despojadas de casas e meios de subsistência, acrescentando que teme a fome generalizada no próximo Inverno.

“Desde 2014, o Papa Francisco tem falado frequentemente sobre a guerra na Ucrânia se tornar um ponto de inflamação para um conflito de maior escala – quando olho para a situação na frente do leste do nosso país, realmente acho que os russos podem decidir fazer algo de terrível”, disse o bispo Jan Sobilo, de Kharkiv-Zaporizhzhia, à Rádio Vaticano na segunda-feira.

“A Rússia agora é como um animal ferido que se magoou, preso no pântano de uma guerra que desencadeou e incapaz de sair enquanto salva a face. Acho que é necessária muita oração para que a liderança russa não desencadeie uma guerra nuclear”.

O comando militar da Ucrânia disse que dois mísseis russos Kalibr atingiram Odessa, com outros dois abatidos antes de atingirem os seus alvos, apesar da promessa de Moscovo na sexta-feira passada em Istambul de não atingir portos ucranianos durante o trânsito de carregamentos de grãos.

A aparente violação do acordo de 120 dias, que foi saudado como um “farol de esperança” para os países em desenvolvimento que enfrentam a fome pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, foi deplorado pela União Europeia. No entanto, as autoridades ucranianas disseram que ainda esperam que os primeiros carregamentos de grãos possam deixar Odessa e outros portos “dentro de dias” se as medidas de segurança forem mantidas.

Durante o seu voo para o Canadá no Domingo, o Papa disse aos jornalistas que ainda espera visitar a Ucrânia num futuro próximo. No entanto, o presidente da Conferência Episcopal Latino-Católica da Ucrânia, arcebispo Mieczyslaw Mokrzycki, disse à Rádio Vaticano que as condições estão a deteriorar-se em todo o país, e disse que nos últimos dias houve um influxo crescente de crianças órfãs e “pessoas mutiladas, muitas vezes em cadeiras de rodas” do leste a procurar abrigo na sede ocidental de Lviv.

Mais de 5,8 milhões de refugiados ucranianos estão dispersos pela Europa, principalmente sob esquemas de protecção nacional, de acordo com dados de meados de Julho do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, com mais sete milhões de deslocados dentro do país.

Artigo de Jonathan Luxmoore, publicado no The Tablet a 26 de Julho de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Ucrânia  •  Odessa  •  Ataque  •  Guerra  •  Exportações  •  Refugiados  •  Migrantes
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui