Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com The Tablet | 20 Jul 2022
Inglaterra e do País de Gales: Bispos católicos reconhecem preocupações sobre poder e abuso sexual
“A realidade da guerra, a hostilidade em relação aos refugiados e a imprudência ambiental estão entre as forças destrutivas em acção no nosso mundo”.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © Mazur/catholicchurch.org.uk

Preocupações sobre como o poder é exercido na Igreja Católica, bem como “o impacto devastador do abuso sexual clerical sobre os sobreviventes e na Igreja em geral” foram reconhecidos pelos bispos católicos da Inglaterra e do País de Gales.

Numa reflexão sobre o documento de síntese nacional que reúne as contribuições de paróquias e dioceses, os bispos dizem: “As vozes daqueles que se sentem marginalizados ou indesejados por causa da sua situação conjugal, orientação sexual ou identidade de género foram levantadas e ouvidas com sinceridade. Igualmente, outros que se sentem excluídos da vida da Igreja, ou se identificam como periféricos, não foram esquecidos no nosso processo sinodal de encontro”.

O documento, intitulado “Procurando o desejo dos nossos corações”, irá, com a síntese, para o encontro sinodal continental europeu planeado para Março e o processo irá culminar com o Sínodo dos Bispos em Roma em Outubro de 2023.

Os bispos dizem: “Entre o trigo bom, sabemos que também há joio que sufoca a colheita que Deus pretende para todos os homens. Para colhermos uma boa colheita, sabemos, por exemplo, que temos o dever de defender a vida humana e os direitos humanos, redescobrir o valor central do casamento e da vida familiar, eliminar a injustiça e enfrentar a ameaça da catástrofe climática”.

“Sabemos também que a realidade da guerra, a hostilidade contra os refugiados e a imprudência ambiental estão entre as forças destrutivas em acção no nosso mundo.”

Os bispos prometem tentar envolver-se com os nove em cada dez católicos que participam na missa dominical, mas ainda não participaram em nenhum processo sinodal.

“Tendo ouvido o que foi dito até agora, notamos que algumas vozes podem estar ausentes, e não menos importante, a voz distinta de diferentes comunidades étnicas que enriquecem muitas paróquias da Igreja na Inglaterra e no País de Gales”.

A experiência recente da pandemia revelou um “profundo anseio por união e ligação”, dizem os bispos.

Sarah Adams, da diocese de Clifton e membro do comité da síntese, disse: “No centro do que estávamos a tentar fazer era sermos verdadeiramente fiéis ao que recebemos”. Acrescentou: “Tivemos que lidar com onde estavam os frutos, onde estavam as jóias, onde estavam as coisas que estavam a causar dor às pessoas”.

O arcebispo de Westminster, o cardeal Vincent Nichols, disse que o documento de reflexão dos bispos não pretende ser um comentário sobre a síntese, que se sustenta por conta própria.

O Cardeal afirmou: “Para os bispos e a vida da Igreja na Inglaterra e no País de Gales, estes foram meses realmente importantes”. Explicou que se tornou “um processo bastante formidável” e os bispos tiveram que realmente “prestar atenção” ao que as pessoas estavam a dizer.

“A palavra mais usada é «coração». O que tentamos fazer é entender o impacto do que aconteceu nos últimos meses, que tem muito mais que ver com a vida do coração que Deus procura do que com as proposições da fé. É muito mais uma troca do coração do que um discurso ou uma troca pública de ideias”.

D. Vincent Nichols disse que uma noção subjacente era a que o Papa Francisco descreveu como a “habilidade de acompanhamento”.

“Desejamos poder encontrar caminhos em que ninguém caminhe sozinho e em que todos tenham a capacidade de acompanhar neste caminho de fé”, concluiu.

Artigo de Ruth Gledhill, publicado no The Tablet a 19 de Julho de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Inglaterra  •  País de Gales  •  Sínodo  •  Sinodalidade  •  Abuso Sexual  •  Refugiados  •  Ecologia
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui