Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com The Tablet | 30 Jun 2022
Kasper adverte que o caminho sinodal Alemão está no caminho errado
É essencial ouvir o Espírito Santo sobre “que direcção deve ser tomada e que ajustes se devem fazer”.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © CNS/Paul Haring

O cardeal Walter Kasper, ex-presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, afirmou que o caminho sinodal Alemão está a ignorar as admoestações do Papa e alertou que, se continuar a ignorá-las, poderá “partir o pescoço do caminho sinodal Alemão”.

A reforma da Igreja era certamente necessária, mas não significava reduzir a Igreja “a uma massa de modelar que se pode amassar e moldar para se adequar a qualquer situação”, sublinhou Kasper num dia de estudo online da iniciativa católica “Neuer Anfang” (“Novo Começo”). Era essencial ouvir o Espírito Santo sobre “que direcção deve ser tomada e que ajustes se devem fazer”, disse. Tais questões não poderiam ser respondidas com “respostas ideologicamente predefinidas que depois se empurram com uma votação maioritária”.

O caminho sinodal Alemão estava a colocar os pontos de vista humanos em pé de igualdade com a mensagem do Evangelho, afirmou Kasper. Algumas das declarações do caminho sinodal Alemão até hoje não eram compatíveis com a mensagem do Evangelho, observou. Criticou especialmente a tentativa de reforma do gabinete episcopal, que era o “pilar fundamental da Igreja”. “Quem serrar este pilar irá partir o pescoço da Igreja”, acrescentou.

O “pecado primordial” de todo o projecto alemão foi que, desde o início, ignorou a carta do Papa (“Carta ao Povo de Deus Itinerante na Alemanha”, de Junho de 2019), na qual Francisco havia sugerido proceder a partir dos Evangelhos e da missão fundamental de evangelização.

Em vez disso, o procedimento alemão “colocou mais ou menos a carta do Papa de lado e seguiu o seu próprio caminho, em parte com os seus próprios critérios”, disse Kasper.

As conferências episcopais escandinavas e norte-americanas e o cardeal austríaco Christoph Schönborn também criticaram abertamente o caminho sinodal Alemão.

O cardeal Reinhard Marx, de Munique, criticou duramente a proposta do caminho sinodal Alemão de discutir se a Igreja ainda precisava de padres.

Essa “proposição absolutamente condenada” deu a impressão de que a grande maioria dos reformadores era contra os padres, disse Marx.

“Não existe Igreja Católica sem padres”, sublinhou.

Artigo de Christa Pongratz-Lippitt, publicado no The Tablet a 30 de Junho de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui