Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com The Tablet | 28 Jun 2022
Cafod lança apelo de crise para ajudar os famintos
Até 20 milhões de pessoas na África Oriental estão em perigo de fome aguda após quatro anos de seca.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © CNS photo/Denis Dumo, Reuters

A Cafod lançou um apelo à crise alimentar mundial em resposta à ameaça de fome em muitas partes do mundo.

Alertando que até 20 milhões de pessoas na África Oriental estão em perigo de fome aguda após quatro anos de seca, a instituição de caridade anunciou a sua campanha para angariar fundos urgentes para combater a crise e reconstruir as cadeias de abastecimento a 20 de Junho.

“Mesmo antes do início da guerra na Ucrânia, o sistema alimentar estava em crise e o impacto das mudanças climáticas tornava mais difícil para aqueles que cultivam a maior parte da produção mundial colocar comida nos seus próprios pratos”, disse a directora executiva da Cafod, Christine Allen.

“Os efeitos da invasão russa estão a espalhar-se pelo já stressado sistema alimentar, e os mais pobres estão a sentir isso de forma mais aguda”, afirmou.

O Líbano, ainda a sofrer os efeitos da explosão do porto de Beirute em 2020, importou 80% dos seus grãos da Ucrânia antes da guerra e agora enfrenta uma crise de abastecimento. Muitos países da África Oriental estão em perigo semelhante.

“Esta crise não era inevitável e é resultado da acção humana”, continuou Allen. “Em primeiro lugar, o governo do Reino Unido e os dadores internacionais devem resolver a lacuna de financiamento na África Oriental”. A ajuda do Reino Unido à região caiu quase pela metade no ano passado devido a cortes no orçamento.

“A causa raiz da crise também deve ser abordada, incluindo combater as alterações climáticas, reparar o nosso sistema alimentar e fornecer mais financiamento para respostas a nível comunitário”, acrescentou.

O Afeganistão também enfrenta um desastre depois de um terramoto matar mais de mil pessoas na quarta-feira e de ter perturbado as frágeis cadeias de abastecimento nas suas regiões remotas do leste.

Mais de 93% da população do país sofre de insegurança alimentar, de acordo com dados da ONU, e a Cafod tem fornecido dinheiro aos aldeões remotos incapazes de comprar alimentos nos mercados locais. A ajuda ao país foi prejudicada pela suspeita internacional do regime talibã que tomou o poder em Agosto do ano passado.

Artigo de Patrick Hudson, publicado no the Tablet a 28 de Junho de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Fome  •  Seca  •  Alterações Climáticas  •  Guerra  •  África  •  Ucrânia  •  Cadeias de abastecimento
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui