Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com Crux | 7 Jun 2022
Corno de África enfrenta crise alimentar que afecta 20 milhões de pessoas
À medida que as secas continuam a atingir países do Corno de África, uma importante agência de ajuda humanitária católica diz que 20 milhões de pessoas estão a enfrentar uma escassez aguda de alimentos.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © Claire Nevill / World Food Program

Ibrahim Njuguna, representante do país para a África da Agência Católica para o Desenvolvimento Ultramarino (CAFOD) – a agência oficial de ajuda da Igreja Católica na Inglaterra e no País de Gales – diz que uma pessoa provavelmente morrerá a cada 48 segundos na Etiópia, Quénia e Somália.

“A pior seca da região em 40 anos levou a quatro colheitas fracassadas, à morte de milhões de animais e à diminuição da produção local de alimentos”, disse ao Crux.

Abaixo estão trechos da sua entrevista com o Crux.

 

A CAFOD indicou que famílias no Quénia, Etiópia e Sudão do Sul estão a enfrentar uma extrema escassez de alimentos e fome. Qual a gravidade desta crise?

A crise alimentar na África Oriental é extremamente séria. Cerca de 20 milhões de pessoas no Quénia, Etiópia e Somália sofrem de insegurança alimentar aguda. Enquanto isso, no Sudão do Sul, secas e inundações deixaram cerca de 8,3 milhões de pessoas – mais de 50% da população – a precisar de assistência humanitária. De acordo com um relatório recente, a crise provavelmente resultará numa pessoa a morrer a cada 48 segundos na Etiópia, Quénia e Somália.

 

Grande parte da culpa foi atribuída à seca e às mudanças climáticas. Como é a realidade das mudanças climáticas nesta parte de África?

A África Oriental foi atingida por vários choques nos últimos anos – seca, inundações, gafanhotos e conflitos – mas a principal causa destes tem sido as alterações climáticas. A pior seca da região em 40 anos levou a quatro colheitas fracassadas, à morte de milhões de animais e à diminuição da produção local de alimentos. O conflito Ucrânia-Rússia piorou a situação. O preço de produtos básicos domésticos, como o milho, disparou, a produção falhou e as cadeias de suprimentos foram interrompidas. A crise foi agravada por conflitos próximos e distantes – incluindo o conflito na Ucrânia, que viu os preços dos alimentos subirem em todo o mundo.

 

Esta é uma região essencialmente constituída por pastores, ainda que haja alguma agricultura. O que é que esta seca significa para as pessoas? Como é que estão a lidar com isso? No passado, as pessoas tiveram que vender os seus animais e todos os seus bens e depois fugir da área. A actual seca atingiu tais níveis?

Ser forçado a mudar de casa e a vender os seus animais em várias ocasiões – devido aos repetidos choques climáticos extremos e à vegetação falhada – erodiu as estratégias de sobrevivência e enfraqueceu as redes de segurança social existentes para as pessoas que vivem na região. Grandes partes da região afectada são habitadas por pastores que teriam movido o seu gado dependendo do pasto disponível. No entanto, os trabalhadores humanitários locais da CAFOD dizem-nos que as áreas que antes eram exuberantes não conseguiram recuperar das múltiplas secas. As famílias tiveram que vender o seu gado e mudar completamente o seu modo de vida tradicional. Muitos tiveram que se mudar para áreas urbanas ou instalar as suas casas ao longo das estradas, onde têm melhor acesso a água ou alimentos.

 

Quais são os riscos de segurança associados a esses desenvolvimentos no Corno de África? Em Outubro do ano passado, D. Peter Kihara, de Marsabit, falou sobre as tensões étnicas no Norte do Quénia. Vê um agravamento da situação de segurança à medida que a seca e a fome atingem a região?

A Igreja Católica trabalha há anos nas áreas mais remotas da região, apoiando as comunidades para resistir a choques climáticos, aumentos de preços de alimentos e conflitos. Por exemplo, a CAFOD tem apoiado a rede da igreja no Sudão do Sul para trabalhar com as comunidades locais na gestão de conflitos; isso tem ajudado a reduzir os conflitos locais resultantes de tensões em torno da partilha de recursos naturais – crucial num momento como este, quando enfrentam uma seca severa.

 

Como é que a guerra na Ucrânia piorou as coisas para as pessoas comuns nesta região?

O conflito na Ucrânia piorou a crise alimentar na África Oriental, pois o preço dos bens essenciais disparou. Os países de baixo rendimento no Corno de África e em outros lugares dependem das importações de trigo da Rússia e da Ucrânia para alimentar as suas populações, tornando-as especialmente vulneráveis ​​a aumentos de preços nos mercados globais. Por exemplo, o Quénia compra cerca de 30%, a Etiópia 40% e a Somália 90% do seu trigo da Rússia, ou da Ucrânia.

 

Os bispos do Quénia lançaram um apelo por causa da seca. Qual é a sua reacção a essa notícia?

A igreja tem trabalhado em algumas das áreas mais afectadas no Quénia, fornecendo apoio muito necessário e salvando vidas. Devido à duração e gravidade da crise, a resiliência das comunidades foi sobrecarregada. Sem apoio humanitário imediato adicional, essas comunidades não podem lidar com resultados piores. Ao lançar um apelo, os bispos quenianos desejam reunir a Igreja e a sociedade para darem as mãos e solidarizarem-se com as comunidades afectadas e mobilizar os recursos tão necessários.

 

Obviamente, as organizações católicas de ajuda já chegaram ao terreno. Pode dar uma ideia do que a CAFOD já tem feito para trazer alívio às pessoas angustiadas?

A CAFOD e as nossas redes de igrejas locais têm apoiado comunidades remotas nas áreas afectadas durante anos. Já estamos no terreno a fornecer assistência para salvar vidas, incluindo água potável segura, transferências de dinheiro para que as pessoas possam comprar alimentos, apoiando a produção de alimentos através de abordagens agrícolas resilientes ao clima e fornecendo ração para o gado.

 

Entrevista de Ngala Killian Chimtom, publicada no Crux a 6 de Junho de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
África  •  Seca  •  Alimentos  •  Fome  •  Guerra  •  Ucrânia  •  CAFOD
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui