Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com La Croix International | 7 Jun 2022
Onde estão os jovens? Não na igreja
Em pânico pelo seu quase desaparecimento dos bancos da Igreja, as pessoas ainda se perguntam se os jovens católicos estão mais à direita ou à esquerda.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © DR

Onde estão os jovens católicos? À direita, muito à direita ou muito à esquerda?

É uma questão fascinante.

Alguns artigos recentes em França contemplaram o chamado ressurgimento dos católicos de esquerda, identificados como jovens, ecologicamente sensíveis e – alguns deles – até muito de esquerda. Também estão distantes de sua Igreja bastante conservadora.

Do outro lado do espectro, há aqueles que dizem que devemos prestar mais atenção aos jovens católicos que vão à igreja, aqueles que são mais sensíveis que os mais velhos aos rituais, sacramentos, orações e que são nostálgicos pela tradição.

Este fim-de-semana, este segundo grupo será o principal participante da Peregrinação de Pentecostes em Chartres, conhecida como a “Peregrinação da Cristandade”, organizada por movimentos tradicionalistas.

Mais uma vez, as pessoas vão-se gabar de quantas pessoas participaram nessa peregrinação, argumentando que este é o tipo de católico conservador que os jovens desejam.

 

Eles rezam, mas de forma diferente

Num artigo recente publicado no La Croix, o padre Pierre Amar sublinha essa divisão entre “jovens” e “velhos católicos”, uma divisão que também emerge em todas as paróquias dos debates sobre o sínodo.

Os “velhos” estão mais ligados ao envolvimento na sociedade, os jovens mais à oração e à liturgia, sem abandonar o trabalho de caridade.

Aliás, impor oposição explicando que os “velhos” não se preocupam com a oração e a liturgia é patetice.

As gerações grisalhas são as que enchem os bancos na missa dominical. E, pelo que sei, vão lá para tricotar! Então eles rezam, mas de forma diferente.

Basicamente, essas perguntas revelam duas coisas.

Por um lado, os jovens são muito diversos; o que já sabíamos. Por outro lado, e sobretudo, há a ansiedade – e até o pânico – que os católicos sentem diante da forte e brutal redução da prática religiosa dos jovens.

Perguntar durante horas se os jovens católicos estão mais à direita ou mais à esquerda é como tentar descobrir se o punhado de Trotskistas é mais Lambertista ou Franquista!

A verdade é mais crua: quase não há jovens na Igreja. E podemos discutir interminavelmente sobre as suas escolhas políticas e litúrgicas...

A nossa preocupação não deve ser sobre as visões políticas e as preferências litúrgicas dos poucos jovens que realmente vão à missa ao Domingo. Em vez disso, devemos perguntar onde estão todos os outros da sua geração – a maioria.

 

Os jovens sentem-se em casa numa Igreja com tantas normas morais?

Por muito tempo, o dedo foi apontado aos pais, culpados por não terem transmitido a fé. Isso é um pouco redutor.

Uma tendência tão massiva não pode ser explicada pela incapacidade dos pais de transmitirem os seus valores e o que lhes dá vida.

Afinal, noutras áreas, eles conseguem fazê-lo muito bem.

Devemos ter a coragem de fazer algumas perguntas: essas jovens gerações, preocupadas com uma grande tolerância em relação a todas as opções de vida, sentem-se em casa numa Igreja com tantas normas morais?

As mulheres jovens, que cresceram numa cultura feminista, podem sentir-se parte da liturgia como é celebrada actualmente?

Por outro lado, a linguagem da instituição e dos fiéis é acessível, compreensível e, acima de tudo, relevante para os jovens?

A mensagem do Evangelho é tudo menos branda. No entanto, provoca, na melhor das hipóteses, apenas educada indiferença entre os jovens.

Em vez de discutirmos sem parar sobre os jovens que já encontramos nas nossas igrejas, talvez seja altura de nos interessarmos mais por todos aqueles que não aparecem.

 

Artigo de Isabelle de Gaulmyn, publicado no La Croix International a 4 de Junho de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Jovens  •  Igreja  •  Catolicismo  •  Cristianismo  •  Participação
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui