Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com La Croix International | 18 Mai 2022
Vaticano ordena reforma de comunidade religiosa após escândalo de abusos
As “Fraternidades Monásticas de Jerusalém”, uma série de comunidades fundadas em Paris em 1975, estão a passar por uma reforma imposta pelo Vaticano depois de o falecido fundador do grupo ter sido acusado de abuso.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © DR

O Vaticano ordenou uma reforma das Fraternidades Monásticas de Jerusalém (FMJ), uma “família de comunidades” criada em Paris em 1975 e agora localizada em toda a Europa e no Canadá.

Segue-se a uma “visita apostólica” para investigar as alegações de abuso sexual contra o falecido fundador da FMJ, o Irmão Pierre-Marie Delfieux (falecido em 2013).

Em 2019, a associação religiosa iniciou o seu próprio processo interno de denúncia que deveria esclarecer o abuso.

Mas não teve sucesso e um novo centro de escuta independente foi estabelecido em 2021 por insistência da Arquidiocese de Paris.

A Congregação para os Institutos de Vida Consagrada do Vaticano, em Roma, enviou então o padre Bruno Cadoré, ex-líder internacional dos dominicanos, e a irmã Emmanuelle Maupomé, psicóloga e líder das Irmãs Auxiliares da França e da Bélgica, para realizar a visita apostólica.

Depois de terem entregue as suas conclusões, vão agora “acompanhar um processo de discernimento e reforma” como “assistentes apostólicos” ao lado de Jean-Christophe Calmon, prior dos irmãos FMJ, e Rosalba Bulzaga, priora das irmãs FMJ.

 

Redefinir o carisma

“Esta é a ajuda de que precisávamos”, explicou o Ir. Gregory, director de comunicação da FMJ. “Uma coisa é fazer um balanço do que não está bem. Corrigir erros e evoluir é outra, que não é fácil fazer a partir de dentro”, afirmou.

Ao Pe. Cardoré e à Irmã Maupomé está a ser-lhes pedido para aproveitarem a sua longa experiência de vida religiosa para ajudarem as comunidades FMJ a renovarem o seu carisma como “monges e freiras na cidade”.

Após o escândalo de abusos em torno do falecido fundador da FMJ, as comunidades devem rever o seu modelo de governação interna e, mais amplamente, a natureza das suas próprias vocações.

“Temos que redefinir o nosso carisma após a crise de abusos na nossa comunidade e na Igreja, num mundo que está a mudar a toda velocidade”, disse o irmão Grégoire, que pertence à comunidade FMJ em Estrasburgo.

“É um teste e também uma fonte de maior dinamismo espiritual”, disse.

 

De Paris a Montreal

As Fraternidades de Jerusalém têm cerca de 50 irmãos e 150 irmãs, a maioria dos quais vivia em comunidades mistas de homens e mulheres.

Há quatro comunidades em França – Paris, Estrasburgo, Mont-Saint-Michel e Vézelay – e quatro noutros países – Florença (Itália), Colónia (Alemanha), Varsóvia (Polónia) e Montreal (Canadá).

Artigo de Christophe Henning, publicado no La Croix International a 17 de Maio de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui