Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com La Croix International | 23 Fev 2022
Primeiro medalhista olímpico do Burkina Faso queria ser padre
Hugues Fabrice Zango, que ganhou uma medalha de bronze nos Jogos de Verão de 2021 em Tóquio, falou com o “La Croix Africa” ​​sobre a sua fé católica.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © DR

Burkina Faso, o país da África Ocidental que conquistou a independência da França em 1960, nunca tinha conquistado nenhuma medalha nas Olimpíadas.

Isso mudou a 5 de Agosto de 2021, quando Hugues Fabrice Zango subiu ao pódio em Tóquio para receber a medalha de bronze pelo seu triplo salto nos Jogos de Verão.

Ele não foi apenas o primeiro medalhista olímpico de Burkina Faso, mas também o primeiro africano a ganhar um prémio nos Jogos de Verão.

O recorde do campeão de 28 anos já é impressionante, apesar da sua entrada tardia no desporto profissional aos 18 anos.

No Campeonato Mundial em Doha, Qatar, em 2019, também ganhou a medalha de bronze e bateu o recorde mundial indoor em Janeiro de 2021 com um salto de 18,07 metros.

 

“A minha fé católica deu-me esperança”

Zango cresceu como católico, recebendo todos os sacramentos da iniciação cristã desde criança.

Participou de grupos e associações católicas, primeiro como acólito, depois na Juventude Estudantil Católica, onde ocupou cargos de responsabilidade por três anos.

“Fui aspirante ao sacerdócio”, confessa.

“Todas essas experiências tornaram-me a pessoa que sou hoje. A fé em geral deu-me esperança, e essa esperança manifestou-se no desporto, onde é preciso ser extremamente paciente para obter resultados”, diz o atleta estrela.

 

“O meu corpo exige maior desempenho”

A cidade natal de Zango é Ouagadougou, capital de Burkina. Foi aí que desenvolveu a sua paixão pelo triplo salto. Mas foi enquanto fazia projectos universitários de engenharia eléctrica em França que impressionou com o seu desempenho.

“Eu tinha um projecto duplo: desporto e estudos”, explica.

“Os dois projectos eram muito importantes para mim e eu não queria deixar o desporto pelos estudos e vice-versa. Foi preciso muita organização e sacrifício, principalmente porque cheguei um pouco tarde ao atletismo”, o diz o atleta-estudante de 1,80 metros.

“Foi com muito esforço, suor e sangue. Tive de me recuperar de muitas lesões, dormir tarde para poder estudar para as provas. Há muitos sacrifícios que tive que fazer”, sublinha.

Apesar de todas as suas conquistas, incluindo o recorde mundial indoor, Zango está a procurar fazer ainda melhor.

“O meu corpo exige mais desempenho e mais resultados, então ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar o ideal que estabeleci para mim nesta disciplina e a excelência que quero alcançar neste campo”, afirma.

 

“O meu futuro será simplesmente radiante”

O campeão, que também está a fazer um doutoramento em Engenharia Eléctrica, dá algumas chaves para a busca de excelência.

“Como em qualquer carreira, alcançar a excelência exige uma certa disciplina, rigor e sacrifício”, diz.

Zango diz que é ao manter a esperança de que as coisas vão correr bem, mesmo sabendo que muitos desafios o aguardam.

Crente e trabalhador, Zango acredita que todas as experiências que já adquiriu lhe permitirão superar todas os obstáculos que surgirão no futuro.

“Acho que o meu futuro será simplesmente radiante”, prevê com um sorriso.

 

Artigo de Kamboissoa Samboé, publicado no La Croix International a 18 de Fevereiro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui