Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com Agência SIR | 11 Nov 2021
Padres em Itália: idade média está a aumentar, quase um em cada dez não é cidadão italiano.
Assiste-se também à diminuição do número de padres com menos de 30 anos e padres fidei donum.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © Siciliani-Gennari/SIR

Se os reuníssemos a todos num mesmo lugar, os sacerdotes diocesanos italianos lotariam o estádio Via del Mare de Lecce. Havia um total de 31.793 padres em 2020 em comparação com 38.209 em 1990, marcando uma queda de 16,5% em 30 anos, totalizando 6.416 padres a menos. Só nos últimos dez anos, o número de clérigos caiu 11%. Esse declínio tem sido parcialmente contrabalançado pelo aumento do número de padres estrangeiros que chegam à Itália para servir nas dioceses italianas.

Especificamente, este número representa um aumento de mais de dez vezes: passou de 204 em 1990 para 2.631 em 2020. Em relação à população em geral, se em 2000 apenas 3,4% dos padres eram estrangeiros, em 2010 a percentagem subiu para 6,6% e em 2020 atingiu 8,3%. Entre os sacerdotes italianos, no entanto, houve uma redução de 19,8% (de 36.350 em 2000 para 29.162 em 2020), enquanto os sacerdotes estrangeiros hoje representam 8,3% do total.

“Estes números não devem ser motivo de alarme. No entanto, devem ser examinados com seriedade, porque abordam a questão do potencial vocacional nas nossas Igrejas italianas, as perspectivas da pastoral juvenil e escolar, e a vida e ministério dos sacerdotes e comunidades de vida consagrada”, destacou o Pe. Michele Gianola, Subsecretário da Conferência Episcopal Italiana (CEI) e Director do Departamento Nacional da CEI para a Pastoral Vocacional.

“Eles evidenciam a preocupação expressa pelo Papa Francisco no discurso de abertura da 71ª Assembleia Geral da CEI, a 21 de Maio de 2018, quando se disse «preocupado com a hemorragia das vocações». A este respeito, as soluções provisórias revelaram-se demasiado precárias para garantir uma resposta adequada. De facto, perspectivas de médio, ou mesmo curto prazo, podem esterilizar o potencial da comunidade de gerar vocações. É preciso lembrar que as vocações são geradas pela nossa Igreja mãe; às vezes, essa capacidade geradora é esquecida ou negligenciada. Uma Igreja que não gera os seus pastores, uma Igreja que não é fecunda em termos de vocações laicais, matrimoniais e de vida consagrada, é uma Igreja em apuros. Voltar a respirar não significa necessariamente crescer em número. Significa perceber, discernir sinodalmente e percorrer com coragem os caminhos de renovação eclesial a partir do Concílio Vaticano II”, esclareceu.

De acordo com dados do Instituto Central de Apoio ao Clero, a idade média dos membros do clero é de 60,6 anos (+ 3,2% desde 2000). A idade média dos sacerdotes italianos é de 61,8 anos: aumentou 4,1% nos últimos 20 anos, enquanto a dos sacerdotes estrangeiros é de 46,7 anos. Mais especificamente, o número de sacerdotes abaixo dos 30 anos está a diminuir. Eram 1.708 em 2000 e o número caiu para 599 em 2020 (-60%), enquanto a população em geral viu acontecer um declínio demográfico de 20%. As dioceses com maior presença de sacerdotes não italianos estão localizadas na Itália central: nas 23 dioceses de Lázio, 626 dos 2.804 sacerdotes são estrangeiros (22,3%). De seguida estão as 11 dioceses do Abruzzo (com 16%), as 18 dioceses da Toscana (com 16%) e as 8 dioceses da Úmbria (com 15%). No fim da lista estão as 10 dioceses da Lombardia com 82 sacerdotes estrangeiros (1,8%) e as 19 dioceses da região da Puglia com apenas 65 sacerdotes estrangeiros (3,3%).

Em 2020, na Itália, havia 15.133 párocos para 25.595 paróquias, ou seja, pouco menos de metade, com uma média de 1,7 paróquias para cada pároco e um pároco para cada 4.160 habitantes.

As regiões com a menor percentagem de párocos são a Lombardia, Lázio e Apúlia, as com maior presença são Abruzos-Molise, Úmbria e Calábria. O número absoluto de padres a servir no exterior não pode ser comparado ao número de padres que “dão entrada”. De facto, enquanto na Itália hoje em dia há 2.631 sacerdotes estrangeiros a servir, os italianos fidei donum que trabalham no exterior são 348, ou seja, 1,1% do total. Nos últimos vinte anos, o número caiu pela metade (era 630 em 2000). E 958 padres morreram em 2020, um aumento de quase um terço em comparação com 742 mortos em 2019.

Em particular, a taxa de mortalidade da primeira vaga da pandemia mostra que no período Março/Abril de 2020 morreram 248 sacerdotes, ou seja, quase o dobro (+92%) dos que faleceram no mesmo período em 2019 (129). A taxa de mortalidade foi ainda maior na segunda vaga, com 240 sacerdotes a falecerem entre Novembro e Dezembro de 2020, mais do que o dobro (+101%) do ano anterior (119).

 

Artigo de Riccardo Benotti, publicado em Agência SIR a 10 de Novembro de 2021.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Itália  •  Sacerdócio  •  Vocações  •  Padres
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui