Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com La Croix International | 22 Set 2021
Bispo sul-africano adverte contra a mistura entre catolicismo e fé tradicional
 O maior obstáculo à conversão total é o culto ancestral, disse o arcebispo de Joanesburgo.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © ACI África

Um bispo católico da África do Sul advertiu os missionários contra a mistura excessiva entre o catolicismo e a fé tradicional e sobre a necessidade de foco na catequese para adultos.

O arcebispo Oblato Buti Joseph Tlhagale, de Joanesburgo, disse recentemente a um grupo de novos missionários que acredita que o maior obstáculo à conversão total é o culto ancestral, observando que as pessoas acreditam na presença omnipresente dos ancestrais.

O Arcebispo Tlhagale, que trabalhou no Departamento de Justiça e Paz do Conselho de Igrejas da África do Sul, ensinou Filosofia e escreveu extensivamente sobre teologia, inculturação e questões laborais.

É o primeiro arcebispo de Joanesburgo desde que Bento XVI elevou em 2007 a Diocese de Joanesburgo a Arquidiocese Metropolitana.

Para fazer os missionários entenderem concretamente o culto ancestral, o Arcebispo Tlhagale mostrou-lhes um vídeo de um sangoma em formação (adivinho/curandeiro tradicional).

O vídeo era de um católico que recentemente se tornou sangoma e o Arcebispo estava tentou mostrar-lhes que todas as pessoas alinham naquilo, mesmo os católicos de todas as classes sociais, informa a Agência Fides.

O Arcebispo disse que essa religião tradicional é misturada com o cristianismo até mesmo por católicos, incluindo alguns padres e freiras. D. Tlhagale alertou os missionários de que há casos em que se vai a dois funerais da mesma pessoa no mesmo dia porque tem que haver um serviço para os antepassados ​​e um serviço para a Igreja.

O prelado disse ainda que as pessoas às vezes fazem essas coisas como uma forma de dupla segurança.

Por esta razão, o Arcebispo Tlhagale exortou os missionários a colocarem mais ênfase na catequese de adultos, que disse ser quase inexistente porque, após a confirmação, os católicos param de estudar e de aprofundar os ensinamentos da Igreja.

As religiões tradicionais africanas têm certos elementos que funcionam como crenças centrais – a presença de divindades, veneração dos ancestrais e adivinhação.

Numa tentativa de inculturação, os teólogos falam da veneração dos ancestrais. Em relação ao Cristianismo, muitos consideram a veneração dos ancestrais como o Antigo Testamento do seu povo. De certa forma, pode ser comparado à “comunhão dos santos”, que inclui os falecidos, disse ao La Croix o padre Ludovic Lado, um padre jesuíta e antropólogo dos Camarões.

“Mas a realidade é que muitos estão na Igreja enquanto as coisas estão bem, mas numa situação de insegurança existencial, corre-se à aldeia para consultar os adivinhos, o que muitas vezes envolve sacrifícios feitos aos antepassados ​​para implorar a sua ajuda”, disse.

Cerca de 80% da população de 58,4 milhões da África do Sul adere à fé Cristã. Outros grupos religiosos importantes são Hindus, Muçulmanos e Judeus. Uma minoria de sul-africanos considera-se tradicionalista ou sem afiliação religiosa específica.

Artigo publicado no La Croix International a 22 de Setembro de 2021.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
África  •  Catolicismo  •  Fé Tradicional  •  Conversão  •  Cristianismo
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui