Padroeiro
 
Apóstolo e mártir 
São Bartolomeu

                                       
 
Seu nome vem do aramaico, com uma referência patronímica: Bar Talmay - filho de Talmay.  Há historiadores que também mantêm uma referência patronímica, mas dá outro significado para o nome: Bar Ptolomeu - Filho de Ptolomeu. Esta última hipótese não é inverossímil, visto que Ptolomeu (suposto pai de Bartolomeu) possuía um prenome grego, e a cultura grega tinha uma grande influência na Judeia da época.
 
Nenhuma narração bíblica lhe enfoca especialmente e seu nome consta apenas nas listas dos doze. No entanto, segundo a tradição, ele é o Natanael de que falam outras passagens, e isso fica evidente através da comparação entre os quatro Evangelhos. Natanael significa "Deus deu" - o significado desse nome fica claro levando-se em conta que ele vinha de Caná, onde deve ter testemunhado a ação de Jesus nas Bodas de Caná (Jo 2, 1-11).
 
Como narra a Bíblia, São Filipe comunicou a Natanael (São Bartolomeu) que havia encontrado o Messias, e que esse provinha de Nazaré, ao que Natanael responde dura e preconceituosamente: "De Nazaré pode vir alguma coisa boa?" (Jo 1, 46a). Essa observação é importante indicador das expectativas judaicais quanto à vinda do Messias, então tidas.
 
                                         
 
No seu primeiro encontro com Jesus, recebe um elogio: "Aqui está um verdadeiro Israelita, em quem não há fingimento" (Jo 1, 47), ao qual o apóstolo responde: "Como me conheces?". Jesus responde de forma que não podemos compreender claramente somente através das Escrituras: "Antes que Filipe te chamasse, eu te vi quando estavas sob a figueira". Com certeza se tratava de um momento crítico e decisivo na vida de Natanael. Após essa revelação de Jesus, Natanael faz a sua adesão ao Mestre com a seguinte profissão de fé: "Rabi, tu és o filho de Deus, tu és o Rei de Israel".
 
Segundo fontes históricas, São Bartolomeu teria pregado o cristianismo até na Índia. Outra tradição diz que o apóstolo morreu por esfolamento em Albanópolis, atual Derbent, na província russa de Daguestão junto ao Cáucaso, a mando do governador, tanto que na Capela Sistina ele é pintado segurando a própria pele na mão esquerda e na outra o instrumento de seu suplício, um alfange. Segundo a Igreja Católica, mais tarde suas relíquias foram levadas para a Europa e jazem em Roma, na Igreja a ele dedicada.
 
                                                  
 
O Papa Bento XVI na audiência do dia 4 de outubro de 2006 disse estas palavras que concluem o ensinamento da vida de São Bartolomeu: "Para concluir, podemos dizer que a figura de São Bartolomeu, mesmo sendo escassas as informações acerca dele, permanece contudo diante de nós para nos dizer que a adesão a Jesus pode ser vivida e testemunhada também sem cumprir obras sensacionais. Extraordinário é e permanece o próprio Jesus, ao qual cada um de nós está chamado a consagrar a própria vida e a própria morte".
Pároco
Padre Manuel Domingos Sampaio Viana
Arquidiocese

Nova Ágora

CANCELADA

[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Paróquia Mar (São Bartolomeu)
Manuel Domingos Sampaio Viana | S. Bartolomeu do Mar| 3 Set 2016
História
Em atualização
PARTILHAR IMPRIMIR
  © Artur Pastor - Arquivo Municipal de Lisboa | S. Bartolomeu do Mar

(São Bartolomeu do) Mar é uma localidade portuguesa do concelho de Esposende, com 2,36 km² de área e 1 182 habitantes (2011)[1]. A sua densidade populacional é de 500,8 hab/km².

Foi sede de uma freguesia extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, para, em conjunto com Belinho, formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Belinho e Mar com a sede em Belinho.

Nas inquisições de 1220 figura esta freguesia com a designação «De Sancto Bartolomeu de Villa d"Atam». Nas de 1258 se diz «in parrochia» Santi Bartolomei de Vila d"Aton» e no censo da população de 1527 é designada por São Bartolomeu das Marinhas e, mais tarde, S. Bartolomeu do Mar.
Há várias opiniões quanto à divergência da palavra Mar, porém, é mais de admitir que provém da sua situação junto ao Mar.
Houve aqui um mosteiro de monges Beneditinos que, em 1550, se uniu ao convento de Palme, da mesma ordem.
A actual igreja paroquial foi construída entre os anos de 1909 -1912.
No dia 24 de Agosto realiza-se aqui uma importante e mais concorrida romaria do concelho que já vem documentada desde o século XVI, sendo costume os romeiros virem à praia banhar as crianças, no denominado "banho santo".

 

RTUR PASTOR - ARQUIVO MUNICIPAL DE LISBOA | S. BARTOLOMEU DO MAR

 

RTUR PASTOR - ARQUIVO MUNICIPAL DE LISBOA | S. BARTOLOMEU DO MAR

 

Fotografias

Artur Pastor - Arquivo Municipal de Lisboa

24 de Agosto de 1953

 

Pe. Manuel Viana ao serviço da Paróquia desde 16/09/2012

Noticia Correio do Minho https://correiodominho.pt/noticias/s-bartolomeu-do-mar-novo-paroco-recebido-com-grande-festa/64198

S. Bartolomeu do Mar: novo pároco recebido com grande festa

A comunidade paroquial de S. Bartolomeu do Mar, concelho e Arciprestado de Esposende recebeu, no passado domingo, o novo pároco Pe. Manuel Domingos Sampaio Viana, com uma festa “bonita, digna, única, celestial e brilhante”.

A comunidade paroquial de S. Bartolomeu do Mar, concelho e Arciprestado de Esposende recebeu, no passado domingo, o novo pároco Pe. Manuel Domingos Sampaio Viana, com uma festa “bonita, digna, única, celestial e brilhante”.

O novo pároco de S. Bartolomeu do Mar, Manuel Domingos Sampaio Viana, natural de Antas, Esposende, substituiu o ex-pároco, Jaime Cepa Machado, que após 39 anos de “total e exclusiva dedicação” ao serviço da comunidade deixa a comunidade paroquial “porque quer e porque pediu para sair”, como referiu o Arcipreste Armindo Patrão, após a leitura da carta de nomeação do novo pároco.

O Arcipreste salientou que o padre deve ser olhado como “um enviado de Deus”, e a paróquia deve ser uma comunidade “de amor, ajuda, perdão e vivência de valores”. Apelou ao povo para o aceitar na tríplice missão do pároco de “ensinar, santificar e governar”, contando “com todos os seus talentos e limitações”.

Agradeceu ao Pe. Jaime todo o trabalho dedicado aos longo de quase quarenta anos ao serviço da comunidade paroquial e pelo “empenho que pôs na causa da igreja”. 
Tendo como pano de fundo o “Ano da Fé” que se inicia em Outubro, Manuel Viana referiu que pretendia ser “um animador da fé para que cada cristão seja melhor na fé”.

Agradeceu o trabalho “dedicado e interesse” na comunidade do antecessor, a presença das forças vivas da freguesia e das entidades presentes e prometeu uma “colaboração franca e aberta com todos”.

Lembrou em especial os doentes, os emigrantes e os desempregados da comunidade, concluindo “de mãos dadas vamos construir a nossa comunidade de fé viva e ardente caridade”.
Em nome da comunidade paroquial falou Fernando Cepa, presidente do Centro Social da Juventude de Mar, que dirigindo-se ao ex-pároco enalteceu a “total e exclusiva dedicação e trabalho” na comunidade ao longo de 39 anos tendo merecido uma estrondosa salva de palmas dos presentes.

Saudou o novo pároco, e agradeceu aos presentes a festa “bonita, digna, única, celestial e brilhante”, neste dia de “grande alegria e emoção”. Desejou a Manuel Viana que seja “imensamente feliz na condução dos destinos desta comunidade”.

E concluiu: “é na força da fé, da esperança e do objectivo comum que de mãos dadas, com um sorriso nos lábios, nos devemos aproximar da igreja, rodeados pelo pároco, mostrando-lhe a grandeza das nossas convicções cristãs, motivando-o para a construção de uma paróquia cada vez mais dinâmica”. 

E este compromisso do povo manifestou-se, no final, numa estrépita salva de palmas e no estoirar de foguetes.
Após o jantar comemorativo, o presidente da Junta, Manuel Santos, agradeceu ao ex- pároco “o empenho e dedicação” à comunidade e saudou Manuel Viana desejando “elevado sucesso” para a nova missão que acaba de assumir, manifestando por parte da Junta “total disponibilidade” para o engrandecimento da terra.

O Vice-presidente da Câmara, Benjamim Pereira, realçou a “colaboração profícua” com o clero do arciprestado e agradeceu ao ex-pároco, homem “de humor extraordinário, afável e cordial”, sendo um “exemplo de vida a seguir enquanto homem e enquanto padre”. E lembrando que “os padres são homens felizes”, prometeu toda a colaboração da autarquia ao novo pároco.

Manuel Domingos Sampaio Viana nasceu em Antas, Esposende, em 27 de Dezembro de 1961. Ordenou-se sacerdote em 7 de Maio de 1986. Foi pároco de Vila Verde, Adaúfe (Braga), Famalicão, vigário paroquial de Vila Chã (Esposende), colaborador das paróquias de Gandra e Gemeses (Esposende), e há três anos foi nomeado pároco de Feitos (Barcelos) que acumula com S. Bartolomeu do Mar.

PARTILHAR IMPRIMIR
Paróquia de Mar (São Bartolomeu)
Casa Paroquial
Morada

Rua 24 de Agosto, 61
4740-511 Mar

Cartório Paroquial Cartrio Paroquial
Eucaristias
Eucaristias
Confissões
Confisses
Visitas aos Doentes
Visitas aos Doentes
Párocos