Informações


Arquidiocese

Horários

Catequese Digital

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Departamento para as Missões
CMAB | 23 Nov 2017
“Salve-se quem puder”? (nos 60 anos do fim da missão a m2)
Pe. Jorge Vilaça
PARTILHAR IMPRIMIR
 

1. Há 60 anos, no dia de Páscoa do ano de 1957, o Papa Pio XII escreveu um documento chamado “o dom da fé” sobre a situação das missões católicas, particularmente em África. Por um lado marcava o fim da “especialização da missão” entregue às ordens religiosas missionárias; por outro lado, desafiava todos os cristãos à missão. Depois de mencionar a responsabilidade de cada Bispo por toda a Igreja – e não só pela sua diocese - o Papa menciona três formas de missão: oração, caridade-partilha, vocações. Tudo dito em relação aos dois primeiros. No que respeita à terceira forma de missão, contrariando a missão ao “metro quadrado”, do “aqui também é preciso”, invocava o modelo da “viúva pobre” do evangelho: deu pouco, mas deu o que tinha e que até lhe era necessário para a sobrevivência[1] (como será que sobreviveu esta mulher?)

2. Há 7 anos a Igreja em Portugal escreveu uma carta em que assumia: “(a missão ad gentes) não é uma perda mas um enriquecimento para a pastoral, uma ajuda às comunidades em ordem à conversão de objetivos, métodos, organização e em responder com confiança ao mal-estar que muitas vezes se experimenta”[2]. E, em 2013, quase que conseguimos ouvir o grito do Papa Francisco naquele ponto de exclamação na sua última carta: “Não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário!” e acrescentou o que já ouvimos vezes sem conta: “Prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças”.

3. No dia 02 de Dezembro, em Braga, haverá a (re)apresentação do projeto “Salama”, cooperação missionária entre as Dioceses de Braga e Pemba (Moçambique). A Paróquia de Santa Cecília de Ocua (Pemba), assumida desde 2016 pela nossa Diocese, tem 100km e 96 comunidades. Cada comunidade tem, na melhor das hipóteses, uma missa a cada meia dúzia de ANOS! Além de leigos, não haverá padres de Braga dispostos a oferecer um ano ou umas férias ao serviço esta Paróquia? Braga tem mais de 350 padres... toda a Diocese de Pemba (600km, do tamanho de Portugal) tem 16! Ah, mas “cá também é preciso!”, “também sou missionário aqui!”, “tenho tantas missas!”... Certo. Então, “salve-se quem puder”?

4. Perguntar não ofende: terminamos a semana dos seminários. “Fazei o que Ele vos disser”, foi o lema deste ano. As equipas formadoras do Seminário diocesano de Braga têm mostrado, em anos sucessivos, totalíssimo apoio aos seminaristas que queiram – nas suas férias – fazer uma experiência missionária fora do país. Continuam a não surgir candidatos. Teremos de inventar uma startup ou “salve-se quem puder”?

Artigo publicado no Suplemento Igreja Viva de 23 de novembro de 2017.


[1] Muitos outros documentos oficiais, depois disso, repisaram esta ideia (LG 23, AG 38, PO 38, RM 68, EG).

[2] CEP, “Como Eu vos fiz, fazei vós também”, Para um rosto missionário da Igreja em Portugal, n. 12.

PARTILHAR IMPRIMIR
Documentos para Download
Departamento para as Missões
Contactos
Coordenador

Sara Poças

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui